13 abril 2007

o outRo laDo..

Aparentemente, o texto não tem nada que ver com as imagem, mas.. dive in and find out why.. because everything happens for a reason!


O dia acordou solarengo e cheio de vontade de respirar..
Senti-me como tivesse, finalmente, acordado de um estado hiperactivo, no verdadeiro e desconhecido sentido do conceito de hiperactividade.. Deixei os passos electricos e a vivência impensada para viver calmamente cada passo, recordando serenamente todas as razões que me fazem gostar de estar viva!
Remeti-me num longo passeio por santarém, redescobrindo em cada rosto uma novidade.. Senti o sol brilhar fortemente dentro de mim, como fosse eu a própria luz.. Há dias em que gosto de sentir-me iluminada..

Sentei-me na esplanada do meu café preferido, a ler uma revista de data ultrapassada, mas com notícias sempre actuais, esperando descobrir mais sobre o mundo do qual me havia desligado..
Às vezes, gosto de me fazer sentir como parte desta comunidade pouco humana e bastante sedutora na sua aparente apatia..

















Ao desfolhar a revista, descobri um filme que estreou no dia 15 do mês passado e resolvi investigar um pouco mais da sua história por me agradar a escolha da protagonista.. a produção cinematográfica baseia-se retrato imaginário de uma fotógrafa que desconhecia, mas pela qual agora tenho grande apreço..
Embrenhada na magia e na escuridão da biografia desta artista dos anos 50 propus-me a descobrir um pouco mais da sua vida e obra e, chegada a casa depois do passeio, mergulhei nas redes cibernéticas vasculhando despeitosamente a vida da referida personagem..
Diane Arbust..


Diane nasceu em Nova Iorque, em 1923, no seio de uma família emocionalmente equilibrada. Casou aos 18 anos com Allan Arbust, formando uma dupla de fotografos que se revelaram no âmbito da moda e publicidade, trabalhando para inúmeras revistas de moda.




















Formavam, pelo menos aparentemente, uma família perfeita, à qual, mais tarde, se somaram os seus dois filhos..
Após o nascimento do último filho, Diane Arbust mergulhou num universo de insatisfação pessoal, buscando a sua auto-realização na fotografia. Passou a ter aulas de fotografia em 1957 com uma professora austríaca com uma visão um pouco mórbida da sociedade, a qual veio a influenciar muito a sua forma de ver o mundo. Nesse momento, foi como se DiaNe aRBuS ganhasse a chave de um mundo paralelo, um mundo inóspito e alternativo..
o outRo laDO..






Diane iniciou a sua carreira de fotógrafa fazendo trabalhos por encomenda como forma de sustento, mas, mais tarde, passou a fotografar apenas aquilo que a sua vontade lhe encomendava, dando espaço significativo aos seus rasgos artísticos..






Através desta actividade artística, pôs a nú um mundo que todos pretendiam esconder, revelando o olhar de gentes comuns e diferentes, na sua maioria judeus.. Foi este o universo que a inspirou e seduziu ao longo de vários anos de trabalho, foi este o mundo que conquistou a sua objectiva, foi esta a realidade que retratou voraz e apaixonadamente!












O filme pretende ilustrar toda obscuridade da sua vida e a sua forma sui generis de olhar o mundo, retratado pela fenomemal actriz-camaleão, nicole kidman! Fur - o retrato imaginário de Diane Arbus realizado por Steven Shainberg.. Vou querer vê-lo assim que possa!














* Os suportes fotográficos utilizadas neste post são, com excepção das fotografias referentes ao filme, da autoria de Diane Arbust. Deambulando entre auto-retratos e retratos de estranhos e personagens sinistras..

3 comentários:

Stranger à la carte disse...

where'r u ??

Jessi disse...

Deixaste-me curiosa...agora vou querer ver este filme!Beijocas

Klatuu o embuçado disse...

Belo post!