18 junho 2007

HolD Still

autor: Jay

In this little town


cars they don't slow down


The lonely people here


They throw lonely stares


Into their lonely hearts




I watch the traffic lights


I drift on Christmas nights


I wanna set it straight


I wanna make it right


But girl you're so far away




Oh, hold still for a moment and I'll find you


I'm so close, I'm just a small step behind you girl


And I could hold you if you just stood still






I jaywalk through this town


I drop leaves on the ground


But lonely people here


Just gaze their eyes on air

And miss the autumn roarI





roam through traffic lights


I fade through Christmas nights


I wanna set it straight


I wanna make it right


But man you're so far away






Oh, I'll hold still for a moment so you'll find me


You're so close, I can feel you all around me boy


I know you're somewhere out there


I know you're somewhere out there






Oh, hold still for a moment and I'll find you


You're so close, I can feel you all around me

And I could hold you if you just stood still


Oh, I'll hold still for a moment so you'll find me


I'm so close, I'm just a small step behind you


I know you're somewhere out there


I know you're somewhere out there


I know you're somewhere out there


autor: David Fonseca e Rita Redshoes

4 comentários:

Rodrigo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
CresceNet disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Celular disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
inV3RS0 disse...

4. Outra Margem de Mim

É muito tempo a desejar o tempo
De mudar ventos, levantar marés
É muita vida a desejar o alento
Que faz
Saber ao certo quem és

É funda a toca onde te escondes tanto
Tem a distância entre o silêncio e a voz
A vida rasga bocadinhos gastos do mundo
Vai descascando até chegar a nós

E tu que sabes tanto de mim
Tu que sentes quem eu sou
Dá-me o teu corpo como ponte que me salve
Do que o medo fechou

São muitos dias a perder em vão
Sem nunca entrar dentro do labirinto
É muita vida a não ser o que tu sentes
A planar sobre o que eu sinto

É quase noite, não te escondas mais
Vai desatando até entrar o ar
Dá-me um gesto que me diga o teu fundo
Uma palavra para te tocar

Tu que sabes tanto de mim
Tu que sentes quem eu sou
Dá-me o teu corpo como ponte que me salve
Do que o medo fechou

Tu que sabes tanto do sol
E és uma espécie de outra margem de mim
Olha-me dentro como chão que me agarre

Pode ser esta noite quente
A estrada aberta mesmo à nossa frente
E tu e eu a descobrir o ar
Não é preciso correr
Não é urgente chegar
O que é preciso é viver